Universidade Sénior do Seixal

O Erro de Thomas Hobbes

Semana de Comemorações do X Aniversário da Unisseixal

Aula aberta de Saúde

Aula Aberta – Saúde

Integrado nas Comemorações do X ANIVERSÁRIO da UNISSEIXAL, realizou-se hoje, 16 de Janeiro pelas 10:00 horas, no Auditório da Junta de Freguesia de Amora, uma Aula Aberta de Saúde “O Erro de Hobbes … O nosso corpo não é uma monarquia absoluta” pelo Professor Doutor Carlos Ribeiro.
Juntamos algumas fotos desta “Aula Aberta de Saúde”.

Bárbara e Alberto Maia

 

Trabalho desenvolvido por uma aluna da turma de Saúde

Prof. Dr Carlos Ribeiro

No âmbito das comemorações do X Aniversário da Unisseixal, tivemos oportunidade de receber uma aula ministrada pelo Senhor Professor Doutor Carlos Ribeiro, que nos deixou deveras motivados a ter as suas aulas semanais incluídas nas nossas opções.

A aula teve como tema a comparação entre a “perfeita organização e gestão da nossa economia interna enquanto seres humanos” e a “não tão perfeita organização e gestão social, por nós Homens ”idealizada.

Partindo do filósofo Thomas Hobbes, que viveu entre 1588-1679, e que preconizou uma monarquia absoluta para a Inglaterra, na qual seria delegado no rei o poder absoluto, por o homem ser o lobo de homem, apresentou uma perspectiva de organização social, na qual, por analogia com a nossa organização interna teríamos um poder ao mesmo tempo delegado e centralizado. Na verdade se compararmos as nossas quatro grandes árvores do corpo humano: -Sistema Nervoso; Sistema Endócrino; Sistema Digestivo; e Sistema Circulatório, com as estruturas sociais existentes na sociedade: – Direcção/Administração; Presidência; Produção e Distribuição, diremos que há no corpo humano um sistema parlamentar (córtex cerebral), um presidente com magistratura de influência (sistema endócrino),um governo (sistema límbico) e um poder local forte.

Percebemos que no nosso corpo a hierarquia é sempre respeitada, que a cada célula cabe o necessário para suprir as suas necessidades, e quando há insuficiência em alguma parte do todo, temos capacidade para encontrar a alternativa que permitirá fazer face a essa falência de forma a repor o equilíbrio total.

Nota importante a retirar desta lição é o facto de o Homem ter toda a vantagem e necessidade de estudar-se a si próprio, antes de tentar inventar soluções para problemas que já foram resolvidos há dois mil séculos na nossa organização interna, e bem resolvidos, coisa que nem sempre é conseguida na improvisação social do Homem moderno.

Suzete Rego

Reportagem fotográfica de Luisa Bernardo

1 Comentário

  1. Manuel José Marramaque Manuel José Marramaque
    Friday, 7 de April de 2017    

    Acabo de ler e apreciar uma vez mais o trabalho , e que trabalho, apresentado pelo Senhor doutor
    Carlos Ribeiro. A singeleza das suas sábias palavras e o assunto escolhido ,foi certamente ,para esta
    população grisalha e para mim que a tal assisti, um deleite e ficará para sempre gravada por se poder ajustar a realidade que vivemos todos os dias..Muito obrigado senhor Professor.
    Manuel Marramaque

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com